Sindicato Itinerante visita Hospital de Base

Agora gerido pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), Hospital de Base recebeu, na tarde desta segunda-feira (3/6), presidente e vice do SindMédico-DF

 

Imponente e marcado pelas sucessivas falhas de governos, o Hospital de Base (HB) permanece como a maior unidade de Saúde do Distrito Federal. No entanto, mesmo com a mudança de administração, que prometia uma verdadeira reviravolta no caos, o hospital, a exemplo de outros, também enfrenta o número insuficiente de leitos e de vagas para a UTI e o déficit de profissionais. Pelo menos, essa foi a realidade passada ao presidente do SindMédico, Dr. Gutemberg, e ao vice, Carlos Fernando, durante visita ao HB nesta segunda-feira (3).

O superintendente de Atenção à Saúde do Hospital de Base, Antônio Bonaparte, e o representante do compliance (programa de cumprimento de leis, regras e regulamentos) da unidade,  Eduardo Correa, acompanharam toda a visita. Segundo funcionários do hospital, um dos problemas recorrentes é a realização das cirurgias eletivas: a demanda é maior do que a capacidade do local no momento. Além disso, é rotineiro ter de utilizar a sala de recuperação como UTI.

Ainda de acordo com funcionários, outro problema é a organização de horários para o início das cirurgias: o que, segundo a gestão, será resolvido o quanto antes. Um dos servidores chegou a sugerir, inclusive, um mutirão para realização de cirurgias nos fins de semana para, quem sabe, diminuir a demanda pelo serviço. “É uma forma de resolver o problema parcialmente. Mas, não é a solução efetiva”, ressalta Dr. Gutemberg.

Os contratos via CLT também têm gerado reclamações: segundo servidores, a rotatividade torna-se maior com esse tipo de admissão. “Aparece uma coisa melhor, com salário maior, por exemplo, e as pessoas deixam o cargo. Isso gera uma angústia. Porque não sabemos como vai ser no dia seguinte”, relataram. Outro ponto a ser questionado, observaram, é o engessamento da carga horária com empregados no regime CLT.

“Nós, do SindMédico-DF, já havíamos avisado que isso poderia ocorrer. E é o que está acontecendo”, lembra Dr. Gutemberg, falando sobre a questão da rotatividade/engessamento da carga horários em contratos via CLT. Importante ressaltar que, também nesta segunda-feira (3), a Justiça anulou seleção de 66 profissionais contratos para o Hospital de Base em 2018. O motivo: a 11ª Vara do Trabalho considerou irregular falta de divulgação de edital do processo seletivo e fato de provas serem respondidas via online. Cabe recurso.

Acordo Coletivo

O SindMédico-DF e o IGES-DF iniciaram conversações para assinatura de acordo coletivo em relação aos contratos via CLT na unidade. O jurídico do sindicato está analisando toda a documentação e, mais adiante, todo o teor da convenção será levado para assembleia com os médicos.

Cartilha Jurídica

Ao longo da visita, foram distribuídas mais de 70 Cartilhas Jurídicas do SindMédico-DF. O manual vai de encontro às dúvidas dos médicos no dia-a-dia, em contato com os pacientes. “Em todos os Sindicatos Itinerantes, levaremos as cartilhas. A ideia é realmente fazer com que todos os médicos tenham, em mãos, o manual para qualquer eventualidade”, salientou o vice-presidente do SindMédico-DF, Carlos Fernando.

Importante ressaltar que o material também pode ser baixado por meio do link: http://cartilha.sindmedico.com.br Para ter acesso ao manual, basta registrar seu e-mail. Desse modo, a Cartilha Jurídica será enviada direto para a sua caixa de entrada.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS